top of page

Segurar espirro, coçar garganta e olhos: o que não fazer com rinite atacada.



Se no inverno aumentam os casos de quadros alérgicos, por conta da baixa umidade do ar, também mais denso e sujo, do uso de casacos e cobertores guardados por muito tempo, além da redução de banhos em animais de estimação devido ao frio, com a chegada da primavera o principal gatilho para as crises de rinite é a explosão de pólen das flores, que irrita as mucosas.


Quem é hipersensível a esse agente, ou a ácaros, pelos, perfume, pode apresentar espirros e coriza constantes, olhos irritados, coceira no nariz e nos ouvidos, que para serem evitados requerem distanciamento de tudo isso e medidas simples, como usar antialérgicos prescritos por um médico, higienizar mãos, nariz e armários com frequência, ingerir bastante água ao longo do dia, manter-se em locais arejados e evitar os erros prejudiciais à saúde a seguir:



Segurar espirros

Com nariz e boca fechados, a pressão de ar no interior das cavidades nasais aumenta, podendo romper veias e artérias fragilizadas ou até mesmo desencadear um AVC (acidente vascular cerebral) e outros problemas, como aumento da pressão intraocular, inchaço em olhos, hemorragia na retina, fratura de costelas com osteoporose e surdez por lesão do tímpano.


Coçar a garganta por dentro Algumas pessoas conseguem movimentar o palato mole, parte muscular do céu da boca, a fim de "arranhar" a garganta e assim tentar driblar a incômoda coceira. Porém, esse hábito não alivia, nem retira as secreções das mucosas, e pode provocar dor de garganta ou rouquidão, pelo atrito entre as pregas vocais. Em alguns casos, ainda leva à perda temporária da voz.



Cutucar os ouvidos

Rinite predispõe inflamações, incluindo da entrada da tuba auditiva, canal que faz a ligação entre a orelha média e a faringe. Somado à presença de muco, vem coceira, dor, sensação de pressão, o que leva alguns a introduzirem dedos, haste flexível de algodão e até chaves nos ouvidos, o que não resolve, e ainda pode provocar lesões, infecções e até perda de audição.



Coçar os olhos sem parar

Quando a rinite atinge os olhos, causa inflamação da membrana conjuntiva, desencadeando coceira, vermelhidão, ardor e lacrimejamento ocular. Nesses casos, nada de esfregar os olhos, pois pode intensificar o quadro, como deslocar com a retina, deformar a córnea e originar uma doença chamada ceratocone e cujos sintomas incluem visão turva e sensibilidade à claridade.



Lavar os olhos com qualquer coisa

Vez ou outra —e com recomendação de um otorrinolaringologista— esse medicamento até ajuda a aliviar o entupimento nasal. Mas se for usado toda hora (pois o período de duração do seu efeito é curto, apenas de quatro horas), pode viciar e gerar complicações, entre as quais palpitação, irritação na garganta, formação de crostas nasais, sedação e rinite medicamentosa.



Assoar o nariz com força

A pressão excessiva nas cavidades nasais empurra muco —e pólen, poeira, fuligem, vírus ou bactérias presentes nele— para dentro dos seios paranasais, podendo causar ou agravar infecções. Fora os riscos de sangramentos de vasos, deslocamento de retina, entupimento de ouvido e perfuração de tímpanos. Se for assoar o nariz, faça pouca força e uma narina por vez.



Limpar coriza com papel higiênico

O rolo de papel é mantido exposto no banheiro, um local geralmente compartilhado, úmido e de intensa suspensão de bactérias e germes, como a E. coli, Staphylococcus e Streptococcus, que são causadores de diversas doenças. Além disso, o papel, se usado constantemente, fere a entrada das narinas, que ficam mais suscetíveis. Prefira usar lenço descartável, é mais macio.



Fazer lavagem nasal com água

Para controlar crises de rinite, lavar as vias aéreas é importante, mas com produtos específicos e indicados por especialistas, não com água, mesmo potável. É que o pH dela não é ideal para as narinas e o líquido ainda contém impurezas e minerais que podem ser prejudicais. O correto é utilizar soro fisiológico, que pode ser espirado em spray ou aplicado com seringa sem agulha.



Escarrar e engolir secreções

Forçar a expulsão de secreções pode, devido ao aumento da pressão e da atividade muscular, causar desde pequenas hemorragias a traumas e desgastes nos tecidos internos da laringe. Agora, sobre muco que não é colocado para fora, em grandes proporções, pode retardar a digestão, e se for de inflamação ou infecção nasal, levar os sintomas para garganta e pulmões.


Fonte: Viva Bem

9 visualizações

Comments


bottom of page