BLOG

Lentes de contato ou óculos? Compare e descubra o que mais combina com você.

Enquanto lentes de contato corrigem melhor erros refrativos, óculos dispensam cuidados com higiene; veja outras diferenças.



Sempre usou óculos de grau e acha que as lentes de contato não são para você? Talvez não seja bem assim. Atualmente, as lentes são produzidas com materiais mais confortáveis e que facilitam o processo de adaptação de novos usuários. Ainda assim, fica a dúvida: será que os óculos são realmente melhor do que as lentes?


Na dúvida, a dica é conhecer mais sobre cada um deles e escolher o que melhor se encaixa à sua rotina, sempre contando com o auxílio de um oftalmologista. Para te ajudar a entender os principais pontos positivos de lentes de contato e dos óculos de grau, reunimos abaixo as principais diferenças entre eles.


Para erros refrativos

No caso de miopia e astigmatismo, por exemplo, as lentes de contato costumam ser mais assertivas por ficarem bem próximas à córnea e permitirem um campo de visão maior em comparação aos óculos.


"O grau muda porque com os óculos existe a distância vértice (entre a córnea e a lente) e quando a lente de contato está encostada na córnea ela elimina esse espaço. A lente de contato no geral dá uma visão melhor do que óculos por causa dessa distância e das extremidades que não são obstruídas", explica a oftalmologista Andréia Lopes, da Clínica de Olhos São Francisco de Assis, do Rio de Janeiro.

Além disso, a oftalmologista Letícia Sant'Ana, da Cia. da Consulta, ressalta que em casos de ceratocone as lentes são, sem dúvida, a melhor opção de correção, já que modelam a córnea.


Os óculos de grau, por sua vez, são mais recomendados para quem sofre com olhos secos e conjuntivites, condições que deixam os olhos mais sensíveis e inaptos para as lentes de contato.


Adaptação

Adaptar-se às lentes de contato é muito mais simples do que alguns imaginam. Após determinar o melhor tipo de lentes para a sua necessidade, o oftalmologista pedirá exames e um teste de adaptação para saber se você está apto a usá-las.


"Dependendo da precisão, o paciente precisará de um tempo de adaptação, mas no geral, ela é tranquila e rápida. Porém, é fundamental que o oftalmologista conheça o paciente, qual atividade ele exerce e seu dia a dia. Isso tudo ajuda no processo de adaptação, na prescrição da receita e determina o modelo de lentes ou de óculos que ele precisa", ressalta Letícia Sant'Ana.

O tempo médio de adaptação é de 15 dias, podendo variar de pessoa para pessoa. Quem escolhe os óculos tende a se adaptar mais rapidamente, com exceção dos modelos multifocais, que podem ter um prazo um pouco maior.


Nesses casos, vale lembrar que as lentes de contato também podem ser utilizadas para corrigir presbiopia e outros problemas de visão para perto e longe, simultaneamente. As lentes multifocais contam com o mesmo processo de adaptação das demais.


Quando voltar ao oftalmologista