BLOG

Da infância à 3ª idade: conheça 7 fatores que podem levar à perda da visão parcial ou total

Fumo e exposição a luz estão entre os principais fatores de risco que podem comprometer a saúde ocular.


Da infância à 3ª idade: conheça 7 fatores que podem levar à perda da visão parcial ou total

Perder a visão causa diversos impactos, não só na vida de quem ficou parcial ou totalmente cego, como na rotina dos familiares, amigos e colegas de trabalho. Pesquisas mostram que o impacto é, inclusive, econômico. Porém o mais grave mesmo é passar pela fase em que a pessoa perde autonomia, passando a depender mais dos que estão à sua volta para realizar tarefas que antes eram automáticas.


As consequências, em muitos casos, envolvem perda de atividades sociais e profissionais – ou seja, de qualidade de vida. Por isso é tão importante que a população entenda o que pode levar à perda de visão, quer seja parcial ou total.


O médico oftalmologista Renato Neves listou sete principais fatores de risco para a saúde ocular. Confira:


1. Fumo: “É fundamental compreender que o cigarro impacta negativamente na saúde ocular. Está bem descrito em vários estudos. Quem fuma está muito mais predisposto a sofrer de problemas como uveítes, degeneração macular relacionada à idade (DMRI), síndrome do olho seco e catarata, por exemplo. Principalmente, o paciente diabético que fuma - ele tem risco aumentado para a degeneração da visão”.


2. Sol: “O uso de óculos de sol deve ser observado desde a primeira infância. Bebês são expostos involuntariamente ao sol durante passeios no carrinho – o que demanda um cuidado maior por parte de quem toma conta deles. Vale dizer que os efeitos nocivos dos raios UVA e UVB são cumulativos, tanto para a pele como para os olhos. Sendo assim, ninguém deveria sair de casa sem uma camada de protetor solar e óculos escuros".



A exposição exagerada aos raios solares pode causar, no mínimo, nove doenças oculares: câncer de pele, câncer da conjuntiva (membrana mucosa e transparente que reveste e protege o globo ocular), pinguécula (espessamento da conjuntiva), pterígio (fibrose da conjuntiva), ceratite (inflamação da córnea), catarata (opacificação do cristalino), degeneração do vítreo (responsável por manter a forma esférica do olho), retinopatia solar (queimadura da retina) e degeneração macular (deterioração da visão central).


3. Equipamentos eletrônicos: “A luz azul-violeta dos LEDs não cega, mas pode ser bem agressiva aos olhos e seus efeitos vêm sendo cada vez mais estudados. Ela está nos escritórios e escolas (luz espiral), nos aviões, nos dispositivos móveis que acessamos continuamente durante o dia e a noite. As crianças são as mais vulneráveis à emissão dessa luz, já que têm acesso a todos os dispositivos tecnológicos – tanto como diversão, quanto nos estudos. Como seus olhos estão ainda em desenvolvimento, eles não têm pigmentos que ajudam a filtrar uma parte dessa luz, o que prejudica a saúde ocular".